Marcadores

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Análise de Louvores: Festival Promessas: Tua Graça me Basta - Davi Sacer

Boa tarde, amados irmãos e leitores. Hoje, damos continuidade à análise de louvores do Festival Promessas, estudando a primeira das duas músicas apresentadas por Davi Sacer no programa da Rede Globo. Hoje, estaremos estudando a música "Tua Graça me Basta", enquanto que analisaremos a música "Restitui" amanhã. Ambas são grandes sucessos do cantor, da época em que ele fazia parte do Ministério Apascentar de Nova Iguaçu. Vamos à análise:

Eu não preciso ser reconhecido por ninguém,
A minha glória é fazer com que conheçam a Ti.
E que diminua eu, pra que tu cresças, Senhor, mais e mais.
E como os serafins que cobrem o rosto ante a Ti,
Escondo o rosto pra que vejam Tua face em mim,
E que diminua eu, pra que Tu cresças Senhor, mais e mais...

No Santo dos santos, a fumaça me esconde, só Teus olhos me vêem.
Debaixo de Tuas asas é o meu abrigo, meu lugar secreto,
Só Tua graça me basta e Tua presença é o meu prazer.

Bom, a primeira parte da música é tranquila. Na ministração, seria preciso citar Isaías 6 e explicar a interpretação (bem plausível) do autor de que os serafins que se apresentam na visão do profeta cobriam os rostos e os pés com suas asas porque estavam em local santíssimo e não conseguiam olhar diretamente para a glória de Deus, para não morrerem. Há paralelos bíblicos para amparar esta interpretação (Ex. 3.5, Js. 5.15, Gn. 32.30, Jz. 6.22,23)

O problema da música está no estribilho. Ao citar o "Santo dos Santos", a música leva o cristão a querer buscar a Deus em um lugar específico, remetendo à teologia do Antigo Testamento, da antiga aliança, onde Deus tinha que ser adorado apenas no Templo de Jerusalém. Jesus veio para quebrar esta ideia (Jo. 4). Além disso, somos templo do Espírito Santo (1 Co. 3.16, 6.19). Ele habita em nós, por isso podemos adorá-lo em qualquer lugar que desejarmos. Estar na presença de Deus não mais é ligado a algo físico, mas sim um estado de espírito, uma motivação, um desejo inato.

Por isso o problema: Quando a música fala do Santo dos santos, um ministro mais desavisado pode dizer que o prédio físico é o santuário onde Deus se manifesta. Já ouvi um pregador afirmar que um salão de festas se tornaria um santuário, apenas para que um casamento pudesse ser realizado. Isso é plenamente desnecessário, pois o santuário de Deus somos nós, e como igreja, podemos nos reunir em qualquer lugar. Se um pregador mais desavisado (ou desonesto) utiliza esta música para dizer que o Santo dos santos é sua igreja, ele está indo contra o evangelho pregado por Cristo e descrito no Novo Testamento, novo balizador primordial.

Até amanhã, quando veremos uma das músicas mais problemáticas das entoadas no Festival Promessas. Aguardem.

7 comentários:

  1. Há algum tempo atrás analisei este louvor à luz da Teologia Neotestamentária e não encontrei embasamento para a colocação das frases apresentadas justamente no seria o clímax da música: "No Santo dos santos...". Muito bem comentado e analisado. Um outro ponto que eu acho meio que fora de nosso contexto são as expressões "a fumaça me esconde..." e "meu lugar secreto..." Bem, a questão é que se trata do antigo culto judaico, onde havia a ministração por parte do sacerdote levita, com o uso do incenso e, não obstante, o "lugar secreto" foi por Cristo abolido, tendo em vista que o véu de alto a abaixo se rasgou. Não há mais nada de secreto, misterioso ou algo que possa assim cogitar. Jesus restabeleceu uma linha direta com o Pai. Aleluias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa música é perfeita! Quando eu era criança eu me emocionava e gosta muito porque tinha citava serafim q é meu sobrenome, mas só fui entende-la a pouco tempo. a parte dos no santo dos santo, mostra sobre quando jesus vir, pois diz a bíblia que quando ele vier buscar seu povo uma fumaça esconderá os salvos e só jesus os verá, ou seja, os não salvos os verão! e a parte do abrigo e lugar secreto, é mais simples salmo 91, aquele q habita do esconderijo do altíssimo, à sombra do onipotente descansará, dentre outros q cita nosso esconderijo nosso lugar secreto! Bom essa música é perfeita pra mim. do começo ao fim eu costumo dizer q foi escrita pra mim,pois eu dizia q não deveria deixar de ser eu mesma pra ser serva de Deus mas com ela aprendi q não é assim. eu não me a seguro atras de teologia até porque eu sou jovem não tenho esse tipo de estudo, mas atrás do que eu sinto e de como Deus se comunicou comigo através desse louvor!

      Excluir
    2. boa tarde a todos. existe também uma interpretação errada quanto ao começo da música que diz " eu não preciso ser reconhecido por ninguém", esta música tem como contexto João Batista que se coloca como um revolucionário em não aceitar todas as condições de uma sociedade corrompida e indo em direção contrário a todos, nas suas vestes e forma de comer pelo seu pacto nazireu que também influenciou. toda a canção fala sobre humildade e humilhação diante da presença de Deus. analisar o texto friamente não nos deixa ver a poesia e a figura de linguagem passadas pelo cântico enquanto arte. graça e paz!

      Excluir
  2. Análise é análise... Quer queira, quer não queira... Agora se você não quer desconstruir a imagem ou os pensamentos a respeito da música é só não ler a análise.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. eu entendo de outra forma, qdo ele diz santo dos santos, e liga isso a graça de Deus, ele está querendo dizer q por causa do que Jesus fez, o veú foi rasgado de cima a baixo, ligando o homem a Deus, ou vice e versa, Deus se ligou a nós pq se importou conosco, antes só um sacerdote podia entrar lá, mas agora a graça de Deus nos basta e sua presença está em nós, ela nos basta por Jesus Cristo. é uma interpretação simples e espiritual. aleluia!!!! o espaço da melodia é pequeno pra colocar tantas frases explicando o amor do pai, mas segui a lógica... antes o homem entrava no lugar santo representado, agora ele mesmo desfruta em si próprio pois nós somos o templo do seu Espírito e o adoramos em espírito e em verdade. Maranata!!! :)

    ResponderExcluir
  5. "No Santo do Santo a fumaça me esconde" - nos arremete à o holocausto que era oferecido pelo sacerdote e queimado para cobrir aquele pecado cometido; da um impressão de negar a obra de Cristo isso, hoje a oração feita pelo os menores dos santos, pelos méritos de Cristo é uma lugar que se vai! não tem fumaça nenhuma mais! à orarmos com Fé na obra redentora de Cristo entramos na presença do Pai!

    ResponderExcluir