Marcadores

terça-feira, 6 de março de 2012

Inocentando Bate-Seba (2 Samuel 11, 12)

Nos últimos meses, tem ido ao ar na emissora Record uma série chamada "Rei Davi", que conta, de forma romanceada, o relato bíblico do filho de Jessé, desde sua ascensão ao trono até sua morte. O texto, com diversas inserções para tornar o relato bíblico mais atraente para o público, tem levado o programa à liderança de audiência do horário, sistematicamente derrotando a Rede Globo no processo.

Um relato exposto na série, porém, levantou uma polêmica que, por anos, tem sido exposta em muitos púlpitos pelo nosso país. Falamos do relato do adultério de Davi com Bate-Seba, esposa de Urias, filho de Aitofel e um dos principais do exército israelita. Segundo a série (e muitos expositores da Bíblia pelo mundo), Bate-Seba teria sido culpada de seduzir Davi, levando-o a cometer o ato que resultaria em seu pecado e, posteriormente, no assassinato do próprio Urias. Todavia, em uma discussão no Facebook, um antigo professor meu notou que estavam pintando Bate-Seba de forma errada, pois ela era uma vítima na história.

Intrigado, comecei a pesquisar sobre o tema, e rapidamente percebi que, de fato, possuímos uma leitura pouco isenta sobre o caso. Foi então que, externando meus instintos de detetive (eu adoro séries policiais na TV), resolvi explorar melhor o texto. Com isso, descobri que cometemos, todos estes anos, uma grande injustiça com a moça. Vamos às provas:

Prova 1: A geografia do incidente: Muitos leem 2 Samuel 11.2 e imaginam a seguinte cena: Davi está em seu terraço, olha pra baixo e vê, no pátio de seu palácio, uma jovem nua se banhando. Quem imagina esta cena, imediatamente culpa Bate-Seba, pois acha que ela foi lá propositadamente para seduzí-lo. O texto, porém, não apresenta a cena desta forma. Vejamos o texto:

"Uma tarde Davi levantou-se da cama e foi passear pelo terraço do palácio. Do terraço viu uma mulher muito bonita tomando banho" (NVI)

"E aconteceu que numa tarde Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista". (ACF)

"Uma tarde, levantou-se Davi do seu leito e andava passeando no terraço da casa real; daí viu uma mulher que estava tomando banho; era ela mui formosa". (ARA)

"Uma tarde Davi se levantou, depois de ter dormido um pouco, e foi passear no terraço do palácio. Dali viu uma mulher muito bonita tomando banho". (NTLH)

Vendo estas versões, percebemos que o texto não apresenta o local exato onde Bate-Seba se banhava. Poderia ser no pátio ou não. Porém, quando lemos o v. 4, percebemos que Davi teve que mandar mensageiros buscá-la. Se Bate-Seba estivesse dentro do palácio, Davi teria conseguido chamá-la ou ir atrás dela facilmente, sem ser notado.

Não foi este o caso. Bate-Seba estava, provavelmente, em seus próprios aposentos, e foi observada por Davi porque o palácio ficava em uma posição elevada, em relação às moradias da população. Além disso, provavelmente tais moradias eram próximas, o que favoreceu Davi a observá-la.

Prova 2: O momento certo: Poucas pessoas dão atenção ao v. 1 neste relato. O texto comenta que era o período em que os reis costumavam sair para a guerra, mas que Davi ficou em Jerusalém, em seu palácio. É provável que a cidade estivesse quase totalmente despovoada de homens, com todos em combate. Davi teria a chance perfeita de observar as jovens da cidade. É possível até que ele já tivesse de má intenção, mas isso é especulação. O fato é que Davi viu, de seu terraço, uma jovem se banhando.

O detalhe, entretanto, é que este não era qualquer banho, pois várias versões citam, no v.5, que Bate-Seba havia se purificado de sua menstruação:

"Davi mandou que a trouxessem, e se deitou com ela, que havia acabado de se purificar da impureza da sua mens­truação. Depois, voltou para casa." (NVI)

"Então Davi mandou mensageiros que lha trouxessem. Ela veio e Davi dormiu com ela. Ora, a mulher, depois de purificar-se de sua imundície menstrual, voltou para a sua casa". (Versão Católica)

Ou seja, Davi percebeu que o banho da jovem era ritual, que ela se purificara de sua menstruação. Com isso, ela não estaria em período fértil, o que impediria uma gravidez indesejada que denunciasse seu crime. Por isso, Davi percebeu que o momento era o melhor para tomar aquela jovem.

É claro, o resultado nós conhecemos: Davi quebrou a cara, pois Deus permitiu que Bate-Seba engravidasse, tornando seu pecado público. Não o assumiu, matou Urias e desposou Bate-Seba, tudo para encobrir seu enorme pecado. Até aí beleza, mas temos outra prova que denuncia a culpa de Davi.

Prova 3: A parábola do profeta: No capítulo seguinte, vemos o relato em que Natã vai ao Rei Davi contar a ele sobre seu pecado. Nos vv. 3 e 4, Natã conta que havia dois homens em uma cidade, um rico, cheio de ovelhas e bois, e um pobre, com uma simples ovelhinha que cuidou como sua filha. Quando um viajante chegou à casa do rico, este mandou pegar a ovelha do pobre para servir ao viajante, em vez de usar uma das suas. O rei se ultraja e diz que tal rico merecia a morte, mas Natã o quebra e diz que o rico era ele e o pobre era Urias, sendo a ovelha Bate-Seba.

O que o texto nos mostra é que, no relato, o profeta usa uma figura passiva, um animal que não faz mal e que foi simplesmente tomado pelo rico, para representar a esposa de Urias. Ou seja, na caracterização do adultério em 2 Samuel 12, toda a culpa recaiu sobre Davi. Bate-Seba foi a vítima, tendo sido "tomada" pelo rei (2 Samuel 12.10).

Com este cenário, percebemos então que a forma como o adultério foi construído pela série e por muitos pregadores não condiz com o texto bíblico. Bate-Seba foi tomada por Davi, usada, e só não foi descartada porque engravidou, contra a natureza humana. Neste julgamento, Bate-Seba merece a inocência.

10 comentários:

  1. Então, eu não acho que as pessoas culpem Bate-Seba diretamente pelo fato. Se você ler o meu livro OS GUETOS DA ALMA, quando falo sobre este incidente, eu insisto em dizer que Davi poderia ter evitado tudo isso, exatamente por estas razões: deveria estar na guerra e aquela era mulher de outro.
    A questão geográfica acho quase impossível discernir, porque o texto nao deixa isso claro, sobre a posição da casa ou do castelo. E por fim, nao sei se o fato dela terminar a menstruação foi incentivo a Davi, 'achando que ela nao engravidaria", porque neste caso estamos pensando com a nossa cabeça e conhecimento, e colocando-a na cabeça do Rei de Israel.
    Acho sim, que Davi foi culpado porque estava no lugar certo (seu palacio), na hora errada. Acho que Davi é o culpado porque ele desejou a mulher do outro (afinal de contas poderia ter tantas mulheres sem 'donos' que desejasse) e o culpado foi ele, porque ele era o Rei...e tirando a questao moral que enfraqueceria seu trono, quem ousaria a negar-se ao Rei? Pensa nisso...mas Bate Seba com certeza é a menos culpada de tudo. Acho, incluisve que a record esta passando a ideia que ela era apaixonada por Davi, por muitos anos antes do evento trágico entre eles.

    ResponderExcluir
  2. Fala, pastor, grande honra ter o senhor por aqui.

    Sobre a questão geográfica, apesar do texto não deixar claro, é fato arqueológico que o palácio de Davi ficava em uma posição elevada em relação à cidade. Mesmo que não fosse uma elevação muito grande, ele certamente teria visão avantajada da cidade, por estar no terraço do mesmo.

    Sobre a questão da menstruação, vou pesquisar mais sobre o caso, pois pode, de fato, ter sido uma divagação muito grande minha. Será que as pessoas da época de Davi sabiam que a menstruação tornava a mulher infértil por um tempo? É uma boa área de pesquisa.

    Agora, sobre a questão de Bate-Seba não se negar ao rei, por ele ser rei, isso prova meu ponto. Bate-Seba foi uma vítima, que se viu sem saída: Ou se entregava ao rei ou teria um destino incerto, porém bem difícil. Quando Natã aponta o pecado de Davi em 2 Sm. 12.10, fala que Davi a tomou como mulher. É um ato ativo de Davi, passivo de Bate-Seba, e não da forma como tem sido retratado pela série.

    ResponderExcluir
  3. André,
    "Será que as pessoas da época de Davi sabiam que a menstruação tornava a mulher infértil por um tempo?"
    Eu acredito que sabiam por um motivo: Já que não haviam métodos anticoncepcionais como hoje, isso deveria ser um conhecimento básico. Mas estou só conjeturando, não posso afirmar isso.

    Também não sei se podemos inocentar totalmente Bate-Seba. Nunca acreditei que ela teria seduzido Davi, na verdade nunca tinha ouvido essa teoria... rs No entanto, é verdade que ela se entregou porque ele era o rei, e não se diz "não" a um rei. Mas se usarmos isso como justificativa para a inocentarmos, podemos também justificar muitos pecados cometidos em obediência a autoridades ou a pessoas que detêm poder sobre o corpo para o ferir ou matar, além de desmerecer muitos que negaram ordens superiores que desagradariam a Deus e até morreram por isso. Como exemplo bíblico do que estou falando, será que justificaria a Misael, Hananias e Azarias se curvarem ante à estátua de Nabucodonosor por ser este um rei, digno de obediência como autoridade constituída por Deus, e por este poder lançá-los na fornalha? Sei que os casos são bem diferentes, apenas acho que o princípio é o mesmo mas com diferentes agravantes. Mas com isso não quero condenar Bate-Seba. A verdade é que eu não sei se ela poderia ser inocentada ou não. Mas pessoalmente, acredito que não, sem certeza alguma.

    ResponderExcluir
  4. Seus argumentos são muito válidos, Vini. E é por isso que alguns estudiosos afirmam que Bate-Seba, na verdade, foi estuprada. Apesar do cap. 11 não dar isso a entender, o cap. 12, v. 10, apresenta esta possibilidade, quando Natã fala que Davi tomou Bate-Seba para si, para ser sua mulher.

    Sobre os três amigos de Daniel, eu creio que as histórias possuem fundamentos completamente diferentes. Os três estavam diante de um rei pagão e Deus usou a sua audácia e fé para mostrar que só Ele era Deus, ao salvá-los da fornalha. Era propósito de Deus agir com base em sua coragem, e tenho plena certeza de que esta coragem foi sobrenatural (ninguém em sã consciência aceitaria se entregar ao martírio se não estivesse cheio do poder de Deus). No caso de Bate-Seba e Davi, vejo um caso onde o pecado humano sobrepõe-se aos desígnios divinos, com Davi desviando-se ao cair em tentação. Bate-Seba, como Natã comenta, é a ovelha que foi tomada de seu pobre dono. Por isso a inocentei.

    Mas gostei de sua argumentação, é uma linha interessante de raciocínio. A minha, expus acima. Para tirar a prova dos nove, teremos que ir mais a fundo, nos originais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A derradeira dúvida é se Bétsabe é digna de de ser defendia, todos podem ou deveriam concluir que em qualquer ípotese Davi pecou. O que atrai dúvidas é, bétsabe em algum momento poderia repudi-lo? já que para os judeus, acima da vitalidade surpéflua ("já que eles deveriam acreditar em vida apos a morte") a pureza é de longe mais importante (afinal estavam diante do Deus vivo) como é comprovado em lêviticos e independente das circunstâncias (Davi ser rei, ele ser belo, risco de morte) ela deveria ter atentado para sua fidelidade, se ainda não há respostas para tais indagações a integridade de Bétsabe fica ainda (infelizmente) em questão.

      Excluir
  5. Sim, os casos eram diferentes dos amigos de Daniel e de Bate-Seba. Mas achei bom usar como exemplo porque Deus bem que poderia não tê-los livrado da fornalha (assim como não livrou milhares de outros mártires que morreram por causas de mesma natureza), e da mesma forma eles teriam morrido por contrariar a ordem de um rei a praticarem idolatria. São pecados diferentes, mas um não é mais grave que o outro, visto que segundo Lv20:10 tanto Bate-Seba quanto Davi deveriam ser mortos por esse pecado, mostrando o quão grave era.
    A questão de Bate-Seba poder ter sido estuprada é interessante. Não acredito muito nisso porque o jeito que o texto narra o acontecimento dá a entender que ela não foi forçada, embora não afirme nada (o texto de 2sm11). Ainda nesse caso acho interessante parar para pensar que, a mulher que fosse estuprada e não gritasse por socorro também deveria sofrer pena de morte (Dt22), e embora que ninguém ousaria salvá-la das mãos do rei, entendemos que o que Davi fez foi escondido. Acho que isso não elimina, mas enfraquece um pouco essa hipótese. Ainda assim é algo a se pensar.
    Mas agora já to conjecturando muito.
    Espero ter ajudado nos meus comentários.

    ResponderExcluir
  6. olá sou Jorge e quero dar meu parecer sobre esse episódio, vejam bem, na minha visão nada acontece da noite para o dia; a não ser que o cara seja um ladrão que pega a vítima nas escuras da noite; vamos pegar para fazer uma reconstituição de fatos uma pessoa que mora em apartamento terceiro andar logo do lado temos outra pessoa que mora no sexto andar, será que essa pessoa do terceiro andar pode ficar nua com as janelas abertas sabendo que em frente tem outra pessoa no sexto andar ? claro que a pessoa que está no ultimo andar vai ver a pessoa do terceiro , o que a mulher tinha que fazer não fez , tinha que se proteger. por isso, por não vigiar pagou caro, ela foi coadjuvante porque pecado de adultério só acontece se tiver a segunda pessoa, pela lei ela e davi deveriam serem mortos, olha o que diz a lei, ela teria que ter gritado, e logo após ter denunciado, mas não o fez. então entendemos que ela consentiu ; depois que ficou grávida foi que reclamou a davi ela também achava que nada viria a baila ou seja a tona, bem que diz um ditado popular, coração do outro é terra que ninguém vai. quando a mulher ama de verdade ao seu marido seja com quem for ela jamais tem a coragem de traílo nem que seja ela tivesse que perder a própria vida. porquê davi era o rei poderia sair comendo as mulheres de quem quer que seja ? pensa se fosse a sua mulher se você iria defender o rei; coloca-se no lugar do urias, em nossos dias tem também isso acontecendo, pastores que não vigia cometendo adultério com a esposa de irmãos na igreja falo porquê tenho provas e não um só caso não. não podemos passar a mão na cabeça de nenhum dos dois , pois todos de igual modo pecaram, ele mais ainda porque deixou de vigiar e dar o exemplo mas pagou caro , não morreu ,mas seus filhos mais tarde morreram em seu lugar, porque o senhor disse por intermédio do profeta natâ que a espada não sairia de dentro da casa do rei. cumpre -se a palavra quando o senhor diz que visita a maldade dos pais nos filhos ate a terceira geração. pois amados irmãos a coisa é mais séria do que pensamos, nada está encoberto aos olhos do senhor ,não estou aqui para fazer julgamento de quem quer que seja, pois cada um de nós estamos sujeitos ao pecado, basta deixarmos de vigiar, sabemos que o senhor pune mas também sara as feridas davi pecou, confessou e a bíblia diz quem confessa e deixa alcança misericórdia, que o senhor nosso DEUS tenha misericórdia de todos nós amém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Porque devemos sim honrar nosso esposo e não nos sujeitarmos a tais condições mesmo que estes sejam autoridades. Isso é ser fiel a DEUS primeiramente, mesmo que nos leve a morte. Sou mulher e sou casada e fiel ao meu esposo.

      Excluir
  7. Parabéns pela exposição do texto! Deu-me forças para continuar! Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Então a santa foi forçada? Não,ela também quis pois se ela fosse uma mulher honrada no mínimo se recusaria.

    ResponderExcluir