Marcadores

sábado, 7 de maio de 2011

Definições de Seitas e Heresias (Instituto da Bíblia - Ciclo Teológico Avançado - Teologia Sistemática, Seitas e Heresias - Aula 1)

Seita

sf (lat secta) 1 ant Qualquer escola filosófica, cujas doutrinas ou métodos divergiam dos seguidos geralmente. 2 Ramo dissidente de uma igreja estabelecida, e portanto considerado herético. 3 Rel Grupo dentro de uma comunhão religiosa principal, cujos aderentes seguem certos ensinamentos ou práticas especiais. 4 Grupo de pessoas que seguem determinados princípios ou doutrinas, diversas dos geralmente aceitos no respectivo meio. 5 Teoria de algum professor célebre, seguida por muitos prosélitos. 6 pop Bando, facção, partido.

latino secta, do verbo sequi, que significa “seguir”. “O movimento daqueles que seguem um líder religioso e seus ensinamentos”. Também pode se originar dos termos secare ou secedere, que significa cortar, separar. “Nesse caso, significaria um grupo que se separou de uma igreja, denominação, comunidade ou outra seita, caracterizando dissidência fruto de rebeldia”[1].

Heresia

sf (gr haíresis+ia1) 1 Doutrina que se opõe aos dogmas da Igreja. 2 fam Absurdo, contra-senso, disparate. 3 Ato ou palavra ofensiva à religião. Var: heregia.

Na Vulgata, é traduzida por seita (At. 24.5, 15; 28.22). Significa pensar diferente da ortodoxia, o judaísmo, no caso do NT. Também se aplicou a fariseus e saduceus (At. 5.17, 15.5, 26.5). “O sentido pejorativo foi adquirido do termo foi adquirido no quarto século, quando a igreja oficial (Romana) alcançou seu triunfo político e passou a perseguir os diferentes”.

E hoje?

Seita: “Objetiva na prática superar ou complementar um detalhe da ‘sã doutrina’. Negligenciando, ignorando o significado real da doutrina, deturpa uma parte do ensino da revelação de Deus”[2].

Heresia: “Uma doutrina falsa, contrária em muitos aspectos à ‘sã doutrina’, principalmente porque deseja vestir, com roupagem nova, o Evangelho, construindo uma via alternativa para a salvação”[3].

Paganismo: “Forma de manifestação religiosa sem sinais ou marcas da revelação cristã. Aqui podemos enquadrar os movimentos religiosos de origem oriental, espiritualista, africana e a maçonaria”[4].


Critérios de conceituação (Kurt Keintath)[5]

1. Histórico: Seita como ramo que desprendeu-se da árvore, como protesto contra o que vê de errado na igreja-mãe.

2. Sociológico: Enquanto a igreja é aberta a todos, a seita destina-se a um grupo selecionado de pessoas inconformadas com o mundo, comprometidas com a santidade, impondo-se uma conduta muito exigente. Dispensa hierarquia e tradição, apresenta uma comunidade de leigos e de líderes carismáticos.

3. Psicológico: As ideias sectárias atingem melhor as pessoas mais sugestionáveis, instáveis, sem fundamentos doutrinários ou senso crítico. Visam atingir necessidades psicológicas imediatas e eternas. São acolhedoras, enfatizando experiências espirituais mais intensas e certezas em face às dúvidas.

4. Jurídico: Diante da Constituição, há liberdade religiosa incondicional, a não ser que prejudique alguém. Se entrar para uma seita, a pessoa é excluída de sua comunidade local.

5. Eclesiástico: Em maioria, as seitas cristãs praticam batismo por imersão, contrário à doutrina católica. Comunidade formada apenas por santos. Não aderem ao ecumenismo, não abertas ao diálogo com outros grupos cristãos.

6. Social: Separação radical do mundo, vivem isolados, beneficência apenas interna. Os problemas da humanidade não parecem afetar seus membros.

7. Missionário: Não buscam incrédulos, mas sim crentes de igrejas e comunidades evangélicas. Seus apelos falam do fim do mundo, da volta de Cristo e da vida cheia do Espírito, do afastar-se da sociedade.

8. Bíblico: Para as seitas, as igrejas perderam o sentido autêntico e o conhecimento verdadeiro das Escrituras. Criticam a exegese, são fundamentalistas. Algumas vão além e colocam escritos de seus líderes acima dos escritos da Bíblia.



[1] LEITE, Tácito da Gama. Resistindo a Tempestade das Seitas. Goiânia: Renascer, p. 14.

[2] Ibid., p. 15.

[3] Idem.

[4] Idem.

[5] Extraído de GAMA, op. cit., p. 17, 18.

Nenhum comentário:

Postar um comentário